24 de fev de 2006

Desconhecido íntimo


É impressionante como somos surpreendidos, e também surpreendemos, pessoas que conhecemos a muito tempo. Percebemos que compartilhamos milhares de momentos com uma pessoa e, "ao mudar a fase da lua", apenas a embalagem é a mesma, mas o conteúdo é totalmente diferente do que acreditávamos ser a sua essência. Esse processo, geralmente, é desencadeado após um trauma ou uma forte crise emocional, modificando uma pessoa de forma irrecuperável.
Isso é triste... É triste, pelo fato de que ao constatarmos que estamos diante de um desconhecido, ficamos totalmente desconfortáveis, sem sabermos como agir ou o que falar, embora seja aquela pessoa, que tantas coisas sabe a nosso respeito e tantas coisas compartilhou conosco.
Mas a vida é assim, um eterno encontro e desencontro de interesses, de sentimentos e de idéias...
E o que deve ser pesado, é o histórico de uma pessoa, e não uma atitude isolada, pois se não tomarmos esse cuidado, ficaremos perdidos no deserto da solidão...

Heróis de verdade...


Há anos que eu me sensibilizo e aplaudo as ações do Greenpeace. E justamente por essa razão, é que me tornei sócio dessa organização que, ao contrário do resto da humanidade, luta por uma causa que não é só sua, mas de todos. Preocupam-se com a vida, com a nossa obrigação de respeitar e preservar as mais diversas formas de vida.
Quão superiores são os sentimentos de humanidade, de compaixão e de soliedariedade...
Esses "heróis anônimos" enfrentam navios baleeiros no Japão, invadem e queimam lavouras transgênicas clandestinas no Brasil, patrulham atóis em mar aberto para evitar testes nucleares nesses locais, enquanto que o resto do mundo permanece imerso na ignorância de que nada está acontecendo de errado com nosso planeta, que está tudo bem...
Fico triste com a pretensão humana de se achar superior, "sapiens", racional... O que temos realmente de racional? Não sabemos nada de amor ao próximo, de senso de preservação da espécie e de companheirismo.
Um dia desses, na coluna do Paulo Santana, na Zero Hora, ele comentou sobre uma cadela feroz (não lembro a raça), que adotou um filhote de gato, que maldosamente foi jogado por cima do portão para ser trucidado pela tal cadela, o que saciaria a vontade impiedosa dos que aguardavam tal atitude dela. O que ocorreu foi exatamente o contrário: A cadela cheirou o filhote assustado e o adotou.
Sabe o que nós humanos fazemos com os diferentes? Sabe sim! Convivemos e ridicularizamos os diferentes desde pequenos: Quatrolho (pessoa com deficiência visual); Dentuço, Coelho, Mônica ou Rato (pessoa com dentes tortos ou avantajados); Bola, Gordo ou Baleia (pessoa obesa ou acima do peso); e tinha apelido pra tudo, sendo sempre pejorativo e constrangedor...
Pior ainda é quando perseguimos e excluimos os diferentes, por não se enquadrarem no esteriótipo do que a sociedade considera como normal.
Ainda bem que somos "homo sapiens", seres superiores intelectualmente, pois se não fôssemos, não haveria mais planeta Terra...

Meu sincero apreço para quem ama e luta pela Natureza!
Salve Greenpeace, salve todas as ONG's de proteção aos animais e aos recursos naturais de um planeta já tão maltratado...
Merecemos um lugar tão maravilhoso como nosso planeta? Acho que não...

23 de fev de 2006

Grande música...

O que não se pode explicar aos normais
(Catedral)

Sobre o amor e o desamor, sobre a paixão,
Sobre ficar, sobre desejar, como saber te amar,
Sobre querer, sobre entender, sem esquecer,
Sobre a verdade e a ilusão,
Quem afinal é você,

Quem de nós vai mostrar realmente o que quer,
Um coração nesse furacão, ilhado onde estiver,
O meu querer é complicado demais,
Quero o que não se pode explicar aos normais,
Sobre o porque de tantos porquês,
E responder
Entre a razão e a emoção eu escolhi você!

A complexidade da felicidade

Sentir-se feliz é, para a grande maioria das pessoas, um estado de espírito a ser alcançado de forma plena. Talvez, por essa definição de felicidade, é que muitas dessas pessoas nunca se sintam felizes de fato. Vejo isso acontecer a todo momento, pois poucos percebem que a felicidade é pontual, é instantânea, com um período de duração semi-definido e, principalmente, não contempla todos os setores da nossa vida.
Quando damos um beijo na pessoa que amamos, é um momento feliz. Naquele instante, não devemos ficar pensando no saldo do banco, na consulta que ocorrerá dali a 3 dias ou se iremos esquecer de comprar a ração do cachorro no supermercado, logo mais à noite. Será que é tão difícil descompilarmos do mundo lá fora, para vivermos uns instantes de alegria, de paz, de prazer ou de silêncio? Não podemos usar desculpas clássicas: "Estou cheio de problemas" ou "Tenho um monte de coisas pra fazer!" Problemas e compromissos todos temos... Só que nossa vida está passando, e não percebemos quantos momentos felizes deixamos de viver em função da nossa escravidão pelo trabalho, pelos compromissos ou pelos problemas cotidianos. Vejo muitas pessoas que, já na sexta-feira, estão pensando nas atividades profissionais da semana seguinte. Por favor, não cometam esse erro, pois é um caminho sem volta! Não façam isso, nem com vocês mesmos, nem com as pessoas que gostam de vocês, pois não há nada mais chato e deprimente do que uma pessoa que não consegue soltar as amarras do seu trabalho. Falar nele é uma coisa, pensar e só falar dele é outra completamente diferente. Há vida lá fora e vocês a estão ignorando! Pensem nisso...

Certa vez, um pastor foi conversar com a minha turma da faculdade, após o "suicídio" de um colega nosso, e uma passagem proferida por ele jamais saiu da minha cabeça: "Somente na eminência da morte, é que as pessoas se dão conta de quanta coisa deixaram de fazer, de quanto deixaram de viver, e de quantas pessoas elas gostavam e não tiveram tempo de expressarem seus sentimentos... Todas elas, deparando-se com idéia do fim, só pediam a Deus um pouquinho mais de tempo, para tentarem viver alguns instantes da vida que deixaram passar..." (Foi o que minha memória conseguiu lembrar, mas a idéia é essa...)

Então, por qual razão cometemos a burrice de não fazermos isso enquanto temos saúde e disposição? Dinheiro? Ele é e sempre será problema, pois quanto mais ganhamos, mais queremos ganhar e mais gastamos, o que é o pior. Tempo? Ah, por favor! Tempo sempre temos, é só estarmos dispostos a fazer algo. Afinal de contas, pegar um cinema ou ficar uma hora reunido com pessoas queridas não requer um agendamento de horário pra ninguém. Cansaço? Deixemos pra descansar enquanto dormimos, ou quando não tivermos mais escolha, por estarmos numa cadeira-de-rodas, numa cama de hospital ou quando "batermos as botas"...

Carpe Diem (Aproveite o seu dia)

22 de fev de 2006

Pensamentos Torrenciais


To com saudade de você
Debaixo do meu cobertor
De te arrancar suspiros
Fazer amor

To com saudade de você
Na varanda em noite quente
E do arrepio frio que dá na gente
Truque do desejo,
Guardo na boca o gosto do beijo

Eu sinto falta de você
Me sinto só
E aí, será que você volta,
Tudo à minha volta
É triste.
E aí, o amor pode acontecer,
De novo pra você,
Palpite.

To com saudade de você,
Do nosso banho de chuva,
Do calor na minha pele
Da língua tua.

To com saudade de você
Censurando o meu vestido,
Das juras de amor ao pé do ouvido,
Truque do desejo,
Guardo na boca o gosto do beijo.

Eu sinto a falta de você,
Me sinto só
E aí, será que você volta,
Tudo à minha volta,
É triste.
E aí, o amor pode acontecer,
De novo pra você,
Palpite.

Eu sinto a falta de você,
Me sinto só
E aí, será que você volta,
Tudo à minha volta,
É triste.

E aí, o amor pode acontecer,
De novo pra você,
Palpite.
E aí, será que você volta,
Tudo à minha volta,
É triste.
E aí, o amor pode acontecer,
De novo pra você,
Palpite...
(Adriana Calcanhoto - Palpite)

Acordei cantarolando essa música...
Bem, fico imensamente feliz por esse evento por dois motivos:
1º. Eu dormi a noite todinha, e acordei novo! Bem o contrário da outra noite...
2º. Acordar cantarolando é sinal de um dia melhor, pois eu estarei melhor pra encarar o dia...

Embora minha vida esteja bem bacana, com tudo no seu devido lugar, há coisas que me incomodam e que eu não estou sabendo superar.
Remorso, mágoa e tristeza de alguns acontecimentos, tanto do passado, quanto de recentes, não saem da minha cabeça, e atrapalham bastante minha vida...
Pior de tudo, é que o que eu podia fazer para remediar, ou curar, o que provocou tais sentimentos, eu já fiz, só restando mudar a vontade das pessoas, o que eu me nego a tentar fazer, pois prezo demais uma coisa chamada "Livre Arbítrio".
O problema que aceitar algumas atitudes que eu jamais faria, é bem complicado para mim, pois espero demais das pessoas, e a decepção é o que de pior uma pessoa pode provocar em mim, e algumas pessoas andam me decepcionando...
É um problema sério pra mim, pois está me afetando demais. Não há um dia que eu não pense nessas coisas e, de certa forma, é o que está me deixando irritado e hostil...
Bom, mais uma vez, vamos ver como as coisas acontecem...

21 de fev de 2006

Fotos e mais fotos

Bom, como já devem ter notado, estou com a mania de colocar fotos no blog. Quando o iniciei, no final de novembro de 2005, Essa não era minha intenção inicial, já que blog é uma coisa e fotolog é outra.
Então, para pacificar o tema, resolvi criar um "blog" - álbum de fotografias.
O link está à direita desse blog, abaixo do meu perfil, mas quem não achar ou não tiver vontade de procurar, é http://www.fabianoealine.blogspot.com

"Embatucado"

Nunca acreditei que forças misteriosas e espirituais possam atrapalhar a vida da gente. Bem, pelo menos até agora! Minha mudança de convicção está intimamente ligada aos últimos acontecimentos:
1. Estou, por vezes, agindo contra minha vontade, inclusive com as pessoas que gosto.
2. Meu carro, coitado, está sofrendo todo tipo de avaria possível.
3. Vidro perto de mim já era! Nos últimos dias, estourei dois copos e um vidro de uma janela.
4. Nem entrarei no detalhe sobre minhas finanças, pois estou no pior momento de minha história.
Só tem uma coisa boa nisso tudo: Deus a tudo vê e é impiedoso com quem pratica o mal.

Agressividade à flor da pele


Ontem fiz o meu amor chorar...
E ao fazê-la chorar, descobri que a amo muito mais do que imaginava, poois chorei muito por dentro, senti a garganta secar e as palavras faltarem. Senti tanta dor em vez aqueles olhinhos lindos cheios de lágrimas, que também chorei.
Conversamos bastante, sobre nós e sobre os mais diversos assuntos, e as coisas foram tomando seu devido lugar. A Aline ficou melhor depois, mas eu não...
Tô bem chateado comigo mesmo, por ser tão ignorante e agressivo quando me sinto acuado ou agredido. Como posso machucar a pessoa que eu mais quero proteger? De onde sai tanta brutalidade, justamente contra a pessoa que mais demonstra afeto por mim?
Poxa, essas perguntas ficaram ecoando na minha cabeça durante a madrugada inteira, pois eu preciso me compreender...
Bem, acompanhei o amanhecer do dia da janela do meu quarto, após uma noite parcialmente em claro, muitas lágrimas e muita reflexão...
Percebi que não há receita mágica combater o "Lado Negro da Força". Somente com muita disciplina e atitudes essencialmente boas posso vir a ser um ser humano melhor e controlar a fúria e a agressividade que me cegam...
Poderia escrever durante dias, que jamais conseguiria expressar o meu profundo arrependimento e tristeza por ter magoado a mulher da minha vida...
(...)

Te amar


Te Amar
(Reação Em Cadeia)

Te Amar

Eu quero estar a cada instante
com você
ter motivos e razões
para viver
te abraçar durante
a vida inteira
e acordar contigo
a cada amanhecer

Sentir teu rosto
tocando o meu rosto
você me faz tão bem
nosso amor é eterno
com você espero
viver minha vida além

O que eu quero é te amar
só basta acreditar
que você será
você é minha vida

Os problemas a gente pode driblar
ter paciência para não se machucar
viver sonhos e minha vida com você
espero que na realidade isso
venha a acontecer

Sentir a tua alma
tocando a minha alma
com a leveza de uma flor
com você ao meu lado
minha vida é repleta
de alegria e muito amor

O que eu quero é te amar
só basta acreditar
que você será
você é minha vida

E aconteceu que vivemos felizes
aconteceu que vivemos felizes
aconteceu que vivemos felizes


(Fotinhos de sábado, dia 18/02/06, na Hotelaria de cavalos, em Alvorada. Mais fotinhos estão nos nossos álbuns do Orkut.)

20 de fev de 2006

Velhos laços...


Na tarde de sábado, enquanto eu estava numa hotelaria de cavalos em Alvorada, juntamente com o "sogro" Clóvis, a "sogra" Nadir e meu amor, a Aline, recebi uma ligação de um cara que, mais do que um amigo, é um irmão: o Marcelo.
Deixamos de nos falar após o final do verão de 2005 e, apesar de eu ter ficado muito magoado, sentia falta da sua amizade.
É engraçado como amizades verdadeiras possuem a capacidade de se manterem atuais. Depois de um ano de isolamento, através de um gesto nobre e inteligente dele, começamos o processo de reatar aquilo que jamais deveria ter sido rompido: nossa amizade.
Conversamos muito por telefone, assim como já marcamos a continuação da prosa para domingo de manhã.
Ele chegou na minha casa de manhã cedo, mas preferimos sair para conversar, pois muitas coisas precisavam ser ditas e ouvidas. Afinal de contas, muita "água passou por debaixo da ponte" desde que tomamos caminhos diferentes.
Costumo dizer que ninguém começa, assim como também não termina, um relacionamento sozinho, seja de que tipo for. Os dois começam, erram, acertam, e... terminam! Na ocasião, reclamei muito por ele não ser mais o Marcelo que eu conhecia por mais de 10 anos, embora eu também estivesse bem longe de ser eu mesmo...
Então, é fácil imaginar o resultado da mistura de intolerância, impaciência e arrogância: ânimos exaltados e muitas mágoas. A única lição saudável dessa época, é que por mais que estivéssemos indignados um com o outro, nunca faltou respeito entre nós. Trocamos e-mails ásperos (até demais!), por já não conseguirmos olhar um na cara do outro, mas nunca nos ofendemos, nunca deixamos palavras descabidas serem direcionadas ao outro...
Como isso é importante! Particularmente, acredito que a ofensa direta é sinal de total menosprezo pela outra pessoa. Quem gosta, seja lá de que forma for, pode até discutir calorosamente para defender seu ponto de vista, mas não ofende a outra pessoa...
Fomos caminhar no Gasômetro... Além da conversa ótima, fomos premiados por um dia excelente, com um sol agradável e vento geladinho, o que lembrava a praia...
Tirando alguns incidentes, que não têm nada a ver com essa história, o Domingo, assim como já tivera sido o Sábado, foi excelente.
Sei que, nesse contínuo processo de recompor o meu próprio "eu", acabo de recolocar uma peça importante nesse quebra-cabeça, que é a reaproximação de pessoas que sempre me quiseram bem.
Deus, obrigado por me dar a grandeza de enxergar meus erros, a possibilidade de corrigí-los e a inteligência para não mais repetí-los...

17 de fev de 2006

Superação...

Acho que já tô melhor... Afinal de contas, nada é tão ruim ao ponto de durar a vida toda, né?
Tenho um dia excelente pela frente, e não posso ficar "amarrando meu bode".
Gostaria que algumas atitudes fossem tomadas, mas nem sempre as pessoas pensam como a gente. E o que resta, é aproveitar a vida da melhor forma possível, superando as eventuais "baixas de guerra"
Que hoje seja um dia melhor que ontem!
Que a vida me presenteie, como já tem feito, de mais sabedoria, paciência, paz e amor, para que eu possa sempre ser uma pessoa melhor a cada instante.
E que Deus ilumine meus passos e de todas as pessoas que quero bem...

"A sorte favorece os destemidos..."
(Alexandre, O Grande)

Uma nuvem encobre o céu...



Uma nuvem encobre o céu
Uma nuvem encobre o seu olhar
Você olha ao seu redor
E acha melhor parar de olhar

São olhos iguais aos seus
Iguais ao céu, ao seu redor
São olhos iguais aos seus...

O que faz as pessoas para serem tão iguais?
O que faz as pesssoas parecerem tão iguais?
Por qual razão essa igualdade se desfaz?
Qual é a razão desse disfarce no olhar, no olhar...
(Engenheiros do Hawaii)

Pois é...
Como podem coisas tão "bestas" nos machucarem tanto?
Como podem sentimentos tão pequenos entranharem-se em nosso peito de tal forma, que torna difícil ter uma boa noite de sono?
Gostaria de ser superior em determinadas situações, mas estou longe de ser uma pessoa perfeita (e nem quero ser, pois ninguém é, e ficar isolado seria horrível!).
O fato é que eu gostaria de poder nunca ter tomado conhecimento ou ter visto coisas que me magoaram, ou ter a capacidade de fazê-las sumir de fato ou de minha memória...
Só sei dizer que hoje está difícil um sorriso, uma cara de felicidade, uma piada... Sinto a minha respiração pesada e lenta, como se eu estivesse em estado letárgico.
Se eu melhorar, eu aviso...

Tenham um excelente final de semana!!!

16 de fev de 2006

Balanço mensal

Ontem foi um dia muito especial...
Primeiramente, pelo fato de que tomei algumas atitudes, na minha vida pessoal, que resultaram maravilhosamente bem. Segundo, por ter a prova de que uma pessoa sempre pode ser melhor do que a gente acha que ela é.
É claro que estou falando do meu relacionamento com a Aline, e também é totalmente desnecessário eu tentar falar sobre minha felicidade, pois como dizem os amigos mais próximos: "Tu estás irradiando felicidade!".
Lembrei do filme Closer, onde tem uma passagem bem interessante sobre esse momento do relacionamento: "Estamos no auge da paixão. Por enquanto, meus hábitos nojentos a divertem..." (É bem assim, né?)
Apesar de nos conhecermos a pouco tempo (pouco mais de 3 meses), temos muitas horas diárias de convivência juntos, o que nos ajudou a delinear características de personalidade, manias, predileções, opiniões e anseios. É bom demais quando uma pessoa conhece nosso humor pelo olhar... Aliás, "falar" é nosso hobbie predileto, pois a gente não pára um minuto e durante o dia todo, dentro do possível.
Surpreendo-me com algumas semelhanças impressionantes, inclusive sendo comum pensarmos e falarmos simultaneamente as mesmas palavras (já perdemos as contas de quantas vezes isso já aconteceu!).
Algumas vezes, noto que estou fazendo planos para o futuro, mas não é algo que me preocupe, pois estou mais interessado em viver cada momento do meu relacionamento. Contudo, tenho que admitir que estou satisfeito plenamente com minha amada, em todos os sentidos possíveis e, por isso, é inevitável imaginar nosso futuro.
Não cometerei a pretensão de me julgar, ou me analisar, como namorado, até por que ser pretensioso é o que tem de mais medíocre no ser humano. Entretanto, tento ser melhor do que já fui no passado, e potencializar o que já tenho de bom sempre, mas nunca deixando de ser "eu mesmo"...
Liberdade, afinidade e amizade...

15 de fev de 2006

Planeta Atlântida 2006 (versão do diretor)

Bem, que o Planeta Atlântida foi sensacional, já é de conhecimento de todos.
Mas agora, assim como no cinema, eu divulgarei a versão do diretor.
Foi uma noite excelente, com grandes shows, com a satisfação de objetivo alcançado e, principalmente, a felicidade de estar com "meu amor" bem agarradinha em mim, sem ninguém pra incomodar...
Essa minha namorada, a dona Aline, além de possuir um senso de humor ótimo, é uma companheira excelente, o que completou a noite de muita alegria, diversão e paz...
E olha que TUDO colaborou contra nossa ida ao evento, o que fez se tornar tão especial a noite do dia 11 de fevereiro.
E por falar em 11/02, comemoramos nosso 1º mês de namoro. Alías, a gente acabou retroagindo as comemorações de namoro à data em que ficamos pela primeira vez.
Eu tinha outra data em minha memória, mas concordei com o dia 11, pois percebo hoje que desde aquele dia não havia só a intenção de ficar, mas de estar junto, de conversar, abraçar, beijar...
Bem, foi muito especial comemorar o aniversário de namoro em pleno Planeta Atlântida, justamente por estarmos fazendo algo diferente, assim como devem ser todos os aniversários de namoro, noivado, casamento...
Posso dizer, do fundo do coração, que estou me sentindo muito feliz, além de não mais sentir uma angústia tão forte, que chegava a doer (fisicamente) no peito.
Hoje durmo em paz...

Aline, eu te amo!

P.S.: No Orkut, ela entrou numa comunidade chamada: "Namoradas perfeitas" e, embora eu ache muita pretensão de alguém se achar "perfeito", reconheço publicamente que "minha linda" se esforça muito pra estar nesse nível.

14 de fev de 2006

Mar em Fúria II



O mar está agitado...
Ao longe, o céu não apresentar nenhum sinal de que a tormenta irá passar.
Em cima de nós, a tempestade é forte, gélida e impiedosa.
Causando medo e insegurança aos tripulantes que resolveram desafiá-la...
Eventualmente, em meio ao mar revolto, as ondas cessam e o vento pára...
Nesse momento, a moral começa a aumentar, embora os ouvidos fiquem aguçados em busca de algum som diferente que possa vir...
E novamente somos tragados por uma onda ainda maior, e a tormenta recomeça ainda mais agressiva e cruel.
Os eventos que acontecem, após a grande onda, são confusos.
O tempo não é mais referencial, sendo substituído pela temperatura congelante da água salgada, do vento frio e da escuridão da madrugada que inicia...
Horas voam diante dos olhos que buscam um porto seguro, um ponto de referência...
Procuro dentro de mim a razão para tudo isso e o que encontro é uma desesperada vontade de viver, de acreditar que haverá vida após tudo isso e que amanhã rirei muito desse episódio.
Meu pensamento é interrompido pro mais um turbilhão de água salgada e gelada que vence minha resistência, assim como a de vários outros...
Acordo, já sem a certeza de que estou vivo, e percebo que, assim como tudo na vida, a tempestade passa, e permite que o amanhecer traga a esperança e o alívio da alma.
Vejo, ao meu redor, outros que também não tiveram medo e enfrentaram o desafio de frente...
Sentamos na areia e rimos um pouco do que aconteceu. Tratamos de nos recompor e, após uma breve pausa em terra firme, entramos no mar novamente, afinal ele é nossa vida e somente ele nos liberta!

Explosão...

Acabei de reler meu último texto...
Percebi que não importa o quanto um pessoa esteja em paz, feliz e com o coração sossegado, ela irá explodir ao menor sinal de ameaça ao seu estado de plena contemplação do que a vida tem de bom.
Foi assim comigo ontem, pois mesmo estando muito bem (psicologicamente), não consegui aguentar a hipocrisia, frustração e a inveja de algumas pessoas...
Mas tudo bem agora, até porque todos que estavam me incomodando já ouviram exatamente o que mereciam ouvir. E se isso voltar a acontecer, levarão de novo, sem problemas...
Aos meus queridos amigos, peço minhas mais sinceras desculpas pelo rompante de ignorância, embora quem me conhece, sabe como eu sou! Um exemplo típico do Dr. Jekill/Mr. Hyde (educação e autocontrole/instinto e selvageria).

No mais, dois pensamentos meus:
" Jamais deixe que outros atrapalhem ou impeçam sua felicidade, pois algumas oportunidades de vivermos grandes momentos não voltam mais..."

" Só adquirimos o respeito dos demais quando mostramos personalidade, seriedade firmeza. Enquanto isso não acontece, somos julgados como crianças manipuláveis e submissas..."

Felicidades!!!

13 de fev de 2006

Inveja é uma merda!

Eu vejo tanta gente tentando atrapalhar a felicidade alheia, que chego a pensar que não há limites para a "pobreza" da alma humana.
Sorte, ou de repente não é a sorte que faz isso, é que sempre dá errado o plano dessas pessoas. Lembra um pouco esses novelas da TV, onde sempre as pessoas de valores e sentimentos "bons" triunfam, mesmo que passem por um longo período sendo trapaceados ou atrapalhados por pessoas infelizes e recalcadas...
Sabe o que é mais bacana nisso tudo? É que Deus existe, e Ele é implacável contra quem investe contra o sentimento mais abençoado: o amor.
Bem, foi o desabafo. Não gosto de ficar me lamuriando, mas ninguém é de ferro e eu já tô pelas "tampas" com um bando de infelizes que, ao invés de evoluírem , aprendendo com seus erros, ficam alimentando inveja, raiva, ressentimento e ódio.
Vou dizer uma coisa: Se isso adiantasse, eu sentava junto com vocês, pra gente ficar invejando bem forte algúem, de forma a gente conseguir tudo que a gente inveja nessa pessoa. O que vocês acham? Eu acho que não funciona, mas a gente pode até tentar...
Ao invés disso, podemos buscar o melhor em tudo o que fizermos, doar sentimentos bons e verdadeiros, e ambicionarmos uma vida melhor em todos os sentidos. Bem diferente de invejar a a vida do próximo, que já foi à luta e garantiu algumas coisas boas na sua vida! Quer moleza, mané? Vira gelatina, então!
E tenho dito!

P.S.: Não tô pra ninguém que não seja do "bem", pois tô sem paciência nenhuma pra piadinhas maldosas sobre minha vida ou da vida das pessoas que gosto. Ah, e se estiverem interessados em perderem a minha amizade, já sabem o caminho!

*

Quando o carnaval chegar
(Chico Buarque)

Quem me vê sempre parado, distante
garante que eu não sei sambar
to me guardando pra quando o carnaval chegar

eu tô só vendo, sabendo, sentindo, escutando
e não posso falar
to me guardando pra quando o carnaval chegar

eu vejo as pernas de louça da moça que passa e não posso pegar
há quanto tempo desejo seu beijo
molhado de maracujá
to me guardando pra quando o carnaval chegar

e quem me ofende, humilhando, pisando, pensando
que eu vou aturar
e quem me vê apanhando da vida duvida que eu vá revidar
to me guardando pra quando o carnaval chegar

eu vejo a barra do dia surgindo, pedindo pra gente cantar
eu tenho tanta alegria, adiada, abafada, quem me dera gritar
to me guardando pra quando o carnaval chegar

(Ouçam na versão do Engenheiros do Hawaii, que é show...)

Planeta Atlântida 2006


Bom, depois de muitos anos, retornei ao Planeta Atlântida.
E foi muito engraçado, pois tava dando tudo errado, parecia até que estávamos "enbatucados"... (hahaha, expressão proferida em um momento de tédio que gerou boas gargalhadas!).
Eu e a Aline "peleamos" um bocado até conseguirmos entrar no Planeta, já que tivemos vários contratempos: Primeiramente, não iríamos, por motivos alheios à nossa vontade. Já em Capão, a chuva torrencial desencorajava qualquer um, só vindo a acalmar em torno das 16h. Depois, conseguimos nos perdemos no caminho para a Saba (hahaha). Já no local, icamos andando para um lado e para o outro atrás de ingressos, já que não havíamos comprado antecipadamente e ninguém sabia onde vendiam (E pessoal da organização é o que não faltava...).
Entramos no meio do show da Pitty, que estava ótimo, até para quem não é muito fã, assim como eu! Em seguida entraram os Paralamas, que só pra variar, foram excelentes. Após veio Charlie Brown, que acho um tanto fraquinho, mesmo com toda a força que a rede Globo dá para o Chorão. (Ah, não acreditei quando ouvi uma guria chamar o Chorão de gostoso... Vai ter gosto horrível assim lá longe! hahaha). Por fim, pelo menos pra nós dois, que já estávamos "quebrados", veio a Ivete Sangalo, que levantou a massa e agitou muito. Não ficamos até o final do show dela, pois começou uma chuvinha gelada que, misturada ao frio do início da madrugada, tava maltratando a gente.
Não pudemos pegar uma praia, pois voltamos no domingo ao meio-dia e ainda chovia nesse horário.
Particularmente, toda essa "indiada" foi muito bacana, já que transpomos todos os obstáculos e contratemos. No final, pudemos saborear o gostinho de vitória e, além disso, comemoramos pelo nosso namoro, pelo momento muito feliz da nossa relação e por estarmos juntinhos em algo que queríamos muito!
Um recado pra quem não foi: Tava legal pra caramba!
Um abraço!

Probleminha sério...

Já notaram como tudo gira em torno de dinheiro???
Isso é muito nojento...
Concordo que grana é importante pra todos nós, além de ser o combustível da sociedade capitalista, mas deixarmos todos os outros valores em detrimento desse papelzinho é complicado e difícil de aceitar.
Também sou consumista e não me envergonho disso, também tenho problemas com falta de dinheiro, conta no vermelho e outras "dores-de-cabeça" comuns à todos. Contudo, passar o final de semana ou perder noites de sono por causa de falta de crédito não dá!
Se adiantasse, eu juro que ficaria de plantão a madrugada inteira, só pra ver um saldo disponível na minha conta pela manhã, fazendo a felicidade da minha gerente de contas...
Mas que se dane, problemas existem e sempre existirão, mas a vida... Essa sim está passando e não tem volta, não dá pra recuperar!
Então, naquele exato momento de decidir entre ficar "encorujado" dentro de casa, remoendo problemas e dar uma volta, ver amigos e espairecer, não devemos jamais exitar: Devemos dar um descanso para nossa cabeça, pois "o que não tem solução, solucionado está!".
Grande abraço!

P.S.: Tô com bastante trabalho, mas à tarde tem mais atualizações sobre o findi...

10 de fev de 2006

Encontros e desencontros

A vida é engraçada mesmo! Já parou pra pensar em quantas pessoas perdemos ao longo de nossa jornada? Perdemos por diversos motivos, que podem ocorrer isoladamente ou em conjunto: Ignorância, arrogância, intolerância ou negligência.
Ando sentindo falta dos bons amigos. Alguns deles já consegui resgatar um pouco do tempo perdido, sendo que outros eu ainda estou trabalhando nisso.
Não quero mais sentimentos ruins, cultivar mágoas, valorizar rancores... Estive um longo período imerso em pensamentos "menores", apegando-me à detalhes, picuínhas...
Mas acordei! Acordei e vi uma vida mais interessante de se viver, livrando-me de raiva, mágoa, rancor, ódio e tristeza. Claro que esse "acordar", foi e ainda é resultado de uma séria de modificações internas e externas, onde estou passando por uma espécie de reciclagem, tendo que reaprender coisas simples, que já não mais lembrava.
É impressionante como algumas pessoas passam por nossa vida sem fazer a mínima diferença , sendo que outras são simplesmente inesquecíveis.
Estava olhando ontem minha página de recados do meu Orkut e algo me chamou a atenção: Uma mensagem do Marcelo. Esse cara foi (e ainda é) o meu melhor amigo por mais de 10 anos. É, 10 anos... As razões do nosso afastamento são bem particulares, mas a razão
de não termos sentado e conversado é um misto de ignorância/arrogância/intolerância.
Bem, no dia do meu aniversário o Marcelo teve a nobreza que eu não tive, fazendo redescobrindo em mim um sentimento que jamais deveria ter sido esquecido: o da amizade incondicional, verdadeira, fraterna... Uma amizade, assim como qualquer outro tipo de relacionamento, requer dedicação de ambos e somente eles podem deixá-la acabar...
É difícil, sobretudo a um aquariano (perfeccionista e teimoso), expor seus erros. Admití-los sim, mas expô-los é bem mais complicado. Mas acredito que, depois de todas experiências vividas em minha vida, o meu bom senso já é bem superior ao meu orgulho, o que me possibilita rever algumas decisões e convicções erradas e procurar corrigí-las.
É como se eu tirasse um peso dos ombros...

9 de fev de 2006

Enfim, nasceu o amor

Sentimento interessante e indecifrável é o amor.
Estou amando "novamente", embora dizer "novamente" seja subestimar esse sentimento que sempre é diferente, mágico e aperfeiçoado.
Estou amando muito... Para os que me conhecem isso não é nenhuma novidade, mas expressar isso foi bem complicado pra mim, pois fui muito cético quanto a realmente estar sentindo isso, tentei segurá-lo o mais que pude, não o deixando se manifestar, por inúmeras razões...
Tive medo, não nego! Mas a condição de estarmos "vivos" nos obriga a ousar, tentar, ver no que vai dar... Então que o amor aflore e inunde minha existência, pois afinal de contas, que graça teria a vida se não pudéssemos viver grandes amores, buscar a felicidade e fazer milhares de planos para o futuro?
Agora estou com o espírito leve, tranquilo, em paz... E isso se deve ao fato de que parei de lutar contra o amor que já estava pulsando forte no meu peito, exigindo ser libertado do cárcere que eu o havia submetido.
(...)

Aline, por tua causa, que "maquinou" tudinho ontem, tive o melhor (ou um dos melhores) aniversários da minha vida.
Não sei se foi feitiço, se o teu jeitinho ou simplesmente aconteceu, mas posso dizer que tu roubaste pra ti o meu coração...

Aconteceu de repente,
Logo tomou conta de mim.
Imaginei não ser verdade,
Nem capaz de sentir...
Enfim, nasceu o amor!

E ele veio, arrebatador

Fazendo de mim um ser
Apaixonado, loucos por teus
Beijos e carinhos...
Imaginando e querendo você
A cada instante, do meu ladinho
Não sendo mais um ser triste e angustiado, tornando-me
O homem mais feliz do mundo...

Eu te amo, Aline!

Overdose de felicidade

No final da noite de ontem arrisquei dizer que tive o melhor aniversário da minha vida. Na verdade já era dia 9, em torno da 1h da manhã, mas minha mente ainda estava tão embriagada de tantas coisas boas que tinham acontecido, que tive certeza que não conseguiria dormir tão cedo, embora meu corpo implorasse por isso.
Já tive muitos dias perfeitos em minha vida, e outros tantos eu não devo ter percebido, mas lhes garanto que ontem foi um dia completo, perfeito, ontem tudo deu certo e eu me senti realizado, tranquilo... feliz!
Meu dia de trabalho foi regado de muitas felicitações, muitas dessas feitas por pessoas que não pensei que se dariam a esse trabalho.
No final da tarde, assim como no almoço, fiquei juntinho da minha linda, e só nos desgrudamos quando o dia 8 já tinha ido embora.
À noite, fomos a uma churrascaria bem bacana, onde estavam presentes meu pai, minha mãe, minha mana, o Sandro, a Dani, o Rafael (cunhado), a Aline (minha linda!).
Foi uma noite muito divertida e, apesar de todos estarem cansados do trabalho, podemos aproveitar aquele momento ao máximo.

Muito obrigado a cada um de vocês, pessoas que eu amo e que são de extrema importância na minha vida!
Amo minha vida, minha família, minha namorada Aline, meus amigos, meu trabalho, minha faculdade e todos os desafios que Deus (que também amo!) tenha reservado pra mim...

8 de fev de 2006

Dois em um


Havia pensado em falar deles em separado...
Que erro eu cometeria, já que não há como falar em um, sem falar no outro!
O Sandro, ou Sandrinho, para os amigos mais folgados, é um cara fora do comum.
Nós nos conhecemos quando entramos na CEEE, no já longínquo mês de maio de 2001. De lá pra cá, nossa amizade só fez aumentar através da quantidade enorme de afinidades e companheirismo. Ainda não disse isso a ele, mas o considero como se esse cara fosse meu irmão a muito tempo. Esse meu irmão é cara! Abraço, meu brother!
A Dani... Eu morria de medo de conhecer a Dani, pois é muito comum a gente ser amigo de um e não ser de seu respectivo companheiro/companheira. Que bom que eu estava enganado, pois a Dani consegue ser até mais legal que o Sandro (hehehe, vai ter briga!!!).
Na verdade, eles se completam. Tive o enorme prazer de ter passado minhas férias ao lado desse casal excelente e espero que façamos muitos outros passeios juntos.
Uma coisa eu garanto, sair com esse casal é garantia de boas risadas, papos excelentes e muito alto astral...

Muita felicidade pra os dois!!!

Agradecimentos e declarações...


Então tá, cheguei aos 29 anos...
Puxa, nem bem o dia começou e já respondi inúmeros "muito obrigado" pelos votos de felicidade, paz, sucesso e dinheiro de amigos e colegas de trabalho. Isso é bacana...
Na verdade, os festejos começaram ontem à noite, com ligações e mensagens no celular, que me deixaram muito feliz e comovido.
E a primeira ligação foi justamente da pessoa com quem eu mais queria falar. Bem, na real eu queria estar com ela naquele instante, mas não podemos ter tudo... Embora eu não acreditasse que ela ligaria, pois já devia estar dormindo, devido ao cansaço de um dia de "cão" que teve. Mas ela, assim como o "mar" do outro texto, surpreendeu-me... E essa surpresa causou-me um bem-estar tão grande, que eu fiquei rindo sozinho, meio bobo, pela demonstração de carinho.

Aline, quero que saibas que ganhou muitos pontos com aquele telefonema (hahaha, piadinha particular). Falando sério agora, quero te dizer que estou muito feliz ao teu lado, que te admiro como pessoa e como namorada e que, acima de tudo, que tu me completa...


Agradeço à Deus, família, minha linda e amigos, por me proporcionarem tantos momentos inesquecíveis e maravilhosos...

7 de fev de 2006

Mar em Fúria


Não sei explicar, mas estou muito agitado.
Tenho uma mania terrível: Querer sempre tomar as rédeas da minha vida!
Isso é muito ruim, pois nem sempre as coisas são como a gente espera e, quando isso acontece, começamos a nos sentir frustrados com a situação.
Em um texto anterior, havia mencionado que estava em dúvida quanto à estar feliz ou não.
Não é bem "felicidade" que está em questão, mas sim a sensação de bem-estar, de satisfação...
Agora consegui chegar no ponto... É exatamente esse o meu incômodo, não estou satisfeito com um monte de coisas! E o pior é que eu não posso fazer nada a não ser esperar pra ver como elas se desenvolvem, pois não dependem de mim, e sim de uma intervenção divina...
Quando é uma coisa ou outra, a gente acaba gerenciando e levando numa boa. O "interessante" é quando acontecem várias coisas que te aborrecem ao mesmo tempo.
Pra ter uma idéia, ao menor sinal de instabilidade, sinto uma vontade enorme de sair, de respirar, de conversar e ver pessoas amigas, de fugir de um sufocamento que é quase real.

Uma vez me explicaram a teoria da lagoa e do mar.
Eu "amo" o mar, sabe por qual razão?
Ele não te deixa na mesma, ele te surpreende e responde ao teu toque. O mar, por mais calmo que seja, não fica indiferente à tua presença, à tua chegada. Ele te agita, mexe com teu sangue, com tua respiração. É como se ele brincasse com teus sentidos e adorasse fazer isso.
Pessoas que preferem o mar querem "comer a vida com uma colher bem grande", como dizia a propaganda da Fanta. Não se limitam à mesmice por muito tempo. Querem sempre melhorar, ousar, provar, experimentar, viver... Não querem ser o plano B, a alternativa, a conveniência. Ou estão de fato, ou preferem nem estar.
Vamos ver o que os próximos dias me reservam, pois meu "mar" está muito agitado...


Essa música é perfeita para a ocasião, mas colocarei somente o refrão.

"É como ficar esperando
cartas que nunca vão chegar
Não vão chegar com "X"
nem vão chegar com "CH"

É como ficar esperando
horas que custam a passar
Enquanto ficamos parados,
andando pra lá e pra cá

É como ficar desesperado
de tanto esperar
Olhando pela janela
até onde a vista alcançar

É como ficar esperando
cartas que nunca vão chegar
É como ficar relendo velhas cartas
até a vista cansar."

(Às Vezes Nunca - Engenheiros do Hawaii) ]

O presente mais desejado...

Já manifestei esse desejo inúmeras vezes e para várias pessoas diferentes.
Sei que não tenho a mínima condição financeira para esse feito, mas me sinto sentimental e psicológicamente preparado para ser pai.
A idéia de ter um ser pequenininho, carregando não só minha herança genética, mas também necessitando do meu amor, minha dedicação e minha energia, é demasiadamente empolgante e desafiador. Ao pensar nesse assunto fico emocionado, pois como eu sempre digo "meu relógio biológico está batendo forte".

Aprendi que por mais que façamos planos, nunca será o momento certo...
Aprendi que por mais preparados que estejamos, sempre teremos dificuldades...
Aprendi que por mais que tenhamos dinheiro, sempre teremos que cuidar dos gastos...
Aprendi que por mais que a vida seja linda, somente sua família a fará ser esplêndida...

Autenticidade...

Ser autêntico é extremamente difícil. Adjetivos como “grosso”, “estúpido” , “ignorante” e “insensível” são normalmente associados às pessoas que não querem ficar mentindo ou omitindo opiniões para agradar.
É nessa característica minha maior decepção com as pessoas, de um modo geral, pois ninguém está disposto a ser transparente e verdadeiro. Também há um tanto de altruísmo nisso, pois falar o que se pensa, é respeitar o próximo, prezar sua inteligência e capacidade de assimilação de uma idéia alheia, mesmo que ele não a aproveite.

Às vezes fico a me questionar se não é um ato de covardia escrever ao invés de falar, assim como eu e várias pessoas fazer. Até acho que sim, mas há algo de positivo nessa prática, pois a pessoa lê tudo o que foi escrito, assimila, reflete, e somente depois, já com uma idéia formada, procura responder. Em um diálogo, há duas reações clássicas diante de um assunto mais direto: Ou a pessoa parte para a defensiva, tentando achar desculpas ou tentando dividir culpas: ou apela para a ignorância, agredindo verbalmente, acabando com um diálogo civilizado.

Ontem um cara, que durante muitos anos foi meu melhor amigo, ligou-me e conversamos bastante. Foi um grande gesto dele, pois estávamos sem se falar a bastante tempo e por motivos bem relevantes. A conversa foi mantida em clima de cordialidade e educação, mas um ponto me chamou a atenção: Em determinado momento ele disse que mais havia ficado magoado comigo foi quando eu coloquei, sem rodeios, todos os motivos que me levaram a desconsiderar ele um amigo.

Admito que dói muito ouvir algo desagradável de alguém que gostamos. Já senti isso na pele e garanto que é horrível. Mas prefiro muito mais essa dor do que a covardia. A covardia impede as decisões corretas, a verdade, a felicidade. A verdade magoa sentimentos, que podem ser curados com o tempo e com cuidado. Já a covardia destrói a amizade, o amor e o respeito.

“Se gosto de você, seja lá de que forma for, não é pelo fato de que posso confiar em você, mas pelo fato de que tenho certeza de que você nunca irá esconder nada de mim. É da condição do ser humano errar, mas somente as pessoas nobres e honradas conseguem ser honestas...”

Meus 20 e tantos anos...

Chego nessa etapa da vida com a certeza de que cumpri minha missão até esse momento. Vivi a fases de infância e adolescência de forma completa, mas tenho orgulho de manter ambos acordados e atuando dentro de mim.
Tenho plena consciência de que errei, e errei bastante. Errei muitas vezes com minha família, com amigos, com pessoas que gostava e também com pessoas que não gostava. Lamento muito por isso, mas é do "jogo"!
Por outro lado, sempre tentei ser o meu melhor. Fui dedicado, companheiro, amigo, incentivador e, principalmente, fui eu mesmo com todos eles. E é esse o maior objetivo da minha existência: ser eu mesmo.
Agora, além dos planos na área profissional, que incluem a conclusão da graduação em Direito, estão meus planos na área pessoal, que são nessa ordem de valores:
1. Fazer feliz a pessoa que esteja disposta a também me fazer feliz e construir uma vida ao meu lado;
2. Planejar nosso herdeiro;
3. Morar em Floripa;
4. Gastar 90% do meu tempo curtindo minha mulher, filhos, família, amigos e bichos. E 10% para o trabalho;
Alguns são apenas sonhos, outros são projetos em andamento, mas podem ter certeza de que eu realizarei todos eles, pois somente paramos de sonhar quando morremos...
Felicidades e fé para todos!

6 de fev de 2006

Um frio na alma

Cheiro de campo...
A tarde já foi, e agora só tenho meus olhos, que mesmo em meio à escuridão, teimam em tentar definir formas e cores dos vultos no pasto próximo...
Ao longe, vozes e sons revelam o ambiente amistoso e animado que me encontro.
De súbito, paro a pensar na minha vida, nas minhas últimas escolhas, em todo tipo de transformações a que fui submetido e a pergunta fatal me dilacera:
- Estou feliz?
O coração fica em suspense, sem me dar nenhuma resposta. Nesse mesmo instante, sinto uma lágrima cair, seguida de outras, e percebo o quão frágil estou e o quanto estou precisando de atenção, carinho, afeto...
Percebo, por fim, que essa pergunta não pode ser respondida, mas sentida.
Resolvo aguardar, pois a ansiedade é minha inimiga, e não posso alimentá-la. Já o tempo, que tudo resolve, consome gradativamente minha energia e alegria, mas é o melhor amigo nessas horas.
Nesse instante, ouço uma doce voz atrás de mim... Discretamente limpo a última lágrima que cai. Viro-me já sabendo quem é, olho aquele sorriso que me "derrete" e nos abraçamos bem forte. Pra mim, foi muito mais que um abraço, foi uma dose homeopática do antídoto que preciso para ficar bem novamente...
As vozes ao longe já não são tão fortes, devido ao avançar das horas e do cansaço.
Dentro de mim, tudo é silêncio...

Uma grande honra...

Hoje o blog inicia com alto nível. Não que normalmente ele não seja de alto nível (hehehe), mas a situação agora é outra, agora estou recebendo uma colaboração "profissional", e não poderia decepcionar.

Achei interessante colocar na íntegra o e-mail que recebi da minha tia (ou melhor, prima) Sandra, que é mais conhecida por tia Beti. Essa moça é o maior expoente de talento artístico dos filhos do meu avô Bernardo. Além de um talento excepcional, ela também é um grande exemplo de ser humano, buscando sempre a evolução.

Tia, muito obrigado por todo o carinho e atenção que sempre me dedicou e também estou muito feliz pelo nosso reencontro.
Quero dizer também que, através desse blog, consegui satisfazer uma das várias facetas que compõem um ser humano, que é a artística. Pois mesmo não sendo algo de grande divulgação ou relevância, escrever nesse blog é algo me dá uma grande paz espiritual. E, através disso, pude compreender que a sensibilidade é mais do que simplesmente chorar ou falar de sentimentos. Sensibilidade é conseguir captar, nos mais simples gestos e sinais, a grande obra de Deus.

Fabiano...
Que surpresa te reencontrar um homem sensível e sábio! Herdastes a firmeza de tua mãe e a capacidade de sonhar do teu pai. Tenho aprendido muito contigo, o que me dá a certeza de que as novas gerações são mais iluminadas e aqui estão para no ensinar. Tem sido assim com o Bruno, tenho aprendido todo dia com ele. Que bom que ainda temos a capacidade de nos surpreendermos, nos encantarmos, nos decepcionarmos com as pessoas! Escrevi um poema que dizia que a vida é um constante renovar de cores, odores e amores. Que bom que a vida ainda nos pertença! Tenho visto a morte de muitos cachoeirenses conhecidos e penso que devemos estar gratos por este minuto presente.
Estou te enviando o poema que fiz pra ti e teu avô. Na ocasião estavas com 4 anos e ele 80. Pena que nem todos os teus primos alcançaram ainda a tua compreensão, não entenderam que o maior legado que o teu avô deixou é bem maior do que um sobrenome difícil de pronunciar ou escrever. Que honestidade, responsabilidade, orgulho e dignidade não se aprende em universidade, mas com exemplo de vida. E, felizmente, essa compreensão tu tens, o que me faz ter orgulho de ser tua tia [embora mais pareça tua prima,he,he].



Diálogo

Sentados no tapete
de calção ,ambos
sem camisa,ambos
braços cruzados
sobre o peito.
E,como bons amigos,
descontraidamente,
dialogavam . . .

Vô e neto.
São oitenta mais
quatro aninhos,
trocando idéias,
experiências,
ensinamentos . . .

Talvez se completem
um indagando
querendo saber do mundo.
O outro,tentando
atender aos anseios
de vida do menino.

Não me intrometi.
_ deixei o diálogo
carinhoso,terno,
imenso de vida,
p r o s s e g u i r !

Sandra Porto Silva

3 de fev de 2006

Vestibular 2006

Pois é, fiz o vestibular da UFRGS de 2006 para testar meus conhecimentos e para me divertir, pois acho muito gratificante fazer provas, apesar de ficar um trapo depois que elas terminam...
Fiquei satisfeito, pois apesar de não ter tocado em nenhum livro de 2º grau, meu escore permitiria minha entrada em alguns cursos de graduação na universidade federal, que são:

Agronomia
Arquivologia
Artes Visuais
Biblioteconomia
Ciências Atuariais
Ciências Sociais
Educação Física
Engenharia metalúrgica
Estatística
Física – Bacharelado
Física - Licenciatura
Geologia
Matemática – Bacharelado
Matemática – Licenciatura Diurno
Matemática – Licenciatura Noturno
Música
Pedagogia

Isso leva a um raciocínio bem simples: Nosso maior adversário está dentro de nós mesmos, quando não acreditamos em nossa capacidade, inteligência e força de vontade.
O que é isso? Outras pessoas nos menosprezarem é da vida, mas nós precisamos levantar a cabeça e encarar a vida de frente.
Como está escrito na minha faixa de Bixo 2001:
"O segredo é acreditar!"

Grande surpresa!

Puxa, estou surpreso!
Não sabia que as notícias voassem tão rápido. E mais ainda, que tantas pessoas se importassem com o que ocorre na minha vida.
Fico muito feliz pelas palavras de carinho e de incentivo que recebi. Faço questão de usar esse espaço para agradecer a essas pessoas que tiveram tamanha sensibilidade.
Não sei o que será o futuro, e também não me interessa, pois quero viver o hoje em toda sua plenitude, não deixando escapar nenhuma migalha desse banquete de bons momentos que a vida está me proporcionando.
Se fiz ou farei más escolhas, estou consciente que é do jogo ganhar ou perder, mas não devemos nos acovardar diante do jogo da vida.
Como diz a Lourdes, minha colega da CEEE: "Cavalo encilhado só passa uma vez..."
Acredito muito em algo que já havia mencionado em um artigo anterior: "Amem, briguem, chorem, acertem, errem, mas façam valer a pena, pois no fim, restarão apenas nossas memórias..."

Vivam suas vidas!

Revelações...

Chegou a hora...

Apesar de muitos já saberem, ou desconfiarem, é melhor que as coisas fiquem às claras.
Assumo, publicamente, meu namoro com a Aline.

Como a vida é engraçada. Logo que ela entrou na minha turma, na faculdade, eu a achei antipática, com jeitinho de cheia. Lembro que ela vinha puxar assunto, tentar se enturmar, e eu um poço de ignorância e total indiferença.
Tanto foi, que acabamos nos conhecendo, ficando amigos, ficando amigos inseparáveis, "ficando", e enfim... namorando!
Apesar de parecer estranho, foi tudo muito rápido e inesperado, quando me dei por conta, já estava acontecendo!
Algumas pessoas ficarão chocadas, outras surpresas, mas tenho certeza de que as pessoas que gostam de mim ficarão felizes, pois é exatamente assim que me sinto: Feliz demais!



Aline, não sei qual força superior fez nossas vidas se encontrarem. Muito menos sei qual a razão desse sentimento maravilhoso ter surgido e estar crescendo a cada dia por ti. Só sei que estou muito feliz contigo, que adoro estar contigo, que vou te respeitar, te apoiar, te incentivar e, acima de tudo, fazer tudo que estiver ao meu alcance para te dar toda felicidade que tu mereces.
"Eu não sei parar de te olhar, não sei parar de te olhar, não vou parar de te olhar, eu não me canso de olhar, não sei parar... de te olhar!"

O retorno do Rei (hahaha, jura!)

Finalmente voltei...

O retorno de Florianópolis é, para mim, demasiadamente doloroso, pois minha alma fica presa àquelas praias. Um dia vou pra lá de vez, eu juro!
Sinto tanta falta de escrever que não tenho como expressar a angústia que sinto de ficar sem postar no nosso blog. "Nosso", pois sem vocês, meus amigos, não estaríamos com mais de 200 visitas em 2 meses de criação. Muito obrigado pelo prestígio, carinho e paciência, do fundo do coração.


Bem, minhas férias foram ótimas. Fui para Canasvieiras com um casal de amigos (Sandro e a Dani) e, apesar de estar "segurando vela", foram a melhor companhia que alguém pode querer, não só nas férias, mas para qualquer tipo de coisa.

Ainda de quebra, encontramos o Gilmar (agora engenheiro), trabalhando na Eletrosul, acompanhado de sua namorada Ana. Fizemos um agito na noite da Lagoa da Conceição...

Curtimos vários dias de sol, visitamos várias praias bacanas, comemos peixe das mais variadas formas e bebemos bem moderadamente (hahaha).

Olha, gostaria que minhas próximas férias fossem ao lado de pessoas tão bacanas como essas que estiveram comigo nesses últimos dias. Vocês são nota 10!

Meus amigos, muita paz no coração e que Deus ilumine seus passos!